Pages

...
























O meu coração anseia gritar baixinho para que não permitas
Senhor dos Céus e Terra,
que os ventos não mais agitem as folhas das árvores,
que não deixes quebrarem-se as nuvens em torrentes,
que as pétalas da pequena flor não revelem o quase imperceptível perfume,
perfume e cor que magoa com tanta beleza,
que parasse o vaivém constante das ondas que beijam a areia…
que…

Não posso pedi-lo…. não posso… seria não amar-Te,
Seria não Te amar com todas as minhas forças,
Senhor dos Céus e Terra

Encontrar-Te, Senhor Deus, em todos os espaços,
em todos os tempos e lugares,
em todos os corações,
em tudo que acontece, ou permites? É um desafio…
Tu aí estás… e em que beleza exuberante Te revelas
a olhares mais atentos
Mesmo em espaços tão cheios de vazios…
…em que nada mais lá cabe…
nem a esperança… ainda assim aí habitas Tu, sempre

Um dia esperei, talvez em vão, que palavras,
e cantos, e cores fossem cantadas também para mim,
alma sedenta de Ti, só…
e encontrei nas cores das tuas melodias, um eco triste do meu grito…
mas, assim como veio, assim se vai… ténue, esbatido e cruel grito
que vivo, vendo-o tantas vezes em cores de
medos e angústias
Leva, Senhor, essas cores, para junto de Ti…
ama-as… em harmonias de arco-íris

temo que as andorinhas voltarão a voar para longe…
poderão nunca mais voltar
por instantes de tempo preenchem, ousadas e atrevidas, os Teus Céus, Senhor
com danças a preto e branco
voam rente ao solo, sem medo de quase o tocar, a velocidades incríveis
e logo estão no ar, rodopiando.
Contaram-me os ventos, em segredos,
que elas anunciam muitas vezes a chegada da chuva como benção
em tempos improváveis de chuva

partirão um dia, sim, talvez a missão destas criaturas não seja mesmo
andar muito tempo à vista dos nossos olhares.
mas que importa? Outras virão, e preencherão os ares

Lembram-me a alma que tem saudade do que nunca existiu...
Só se pode ter saudade, do que já se conheceu e viveu, e amou e chorou…
talvez por isso viva a alma a nostalgia da Tua suave Presença…
Quererá isso dizer… que um dia Te conheci, Senhor dos Céus e Terra?
…que um dia, o meu coração já esteve realmente conTigo, meu Senhor Jesus?
Tenho saudades de Ti, meu Senhor e meu Deus…

7 comentários:

Fora-da-lei disse...

Por vezes tb tenho essa nostalgia-saudade.

Livro de Provérbios (8, 22-31)


O Senhor criou-Me, como primícias das Suas obras, desde o princípio, antes que criasse coisa alguma.
Desde a Eternidade fui formada, desde as origens, antes dos primórdios da Terra.
Ainda não havia os abismos e Eu já tinha sido concebida; ainda as fontes das águas não tinham brotado.

Antes que as montanhas fossem implantadas, antes de haver outeiros, Eu já tinha nascido.
Ainda Ele não tinha criado a Terra, nem os campos, nem os primeiros elementos do Mundo.

Quando Ele formava os Céus, ali estava Eu.
Quando colocava a abóbada por cima do abismo, quando condensava as nuvens, nas alturas, quando continha as fontes do abismo, quando fixava ao mar os seus limites, para que as águas não ultrapassassem a sua orla.

Quando assentou os fundamentos da Terra, Eu estava com Ele como Arquitecto, e era o Seu encanto, todos os dias, brincando continuamente em Sua presença.
Brincava sobre a superfície da Terra, e as minhas delícias são estar junto dos Seres humanos.
****
Essa pintura é linda,sabe qual o (a) pintor?

elsa nyny disse...

Querido Anawîm...Coração de Jesus!

As tuas palavras
fazem-me soltar as lágrimas,
que rolam num soluço
magoam
de tanta beleza
de tanto amor...
Ò alma divina!
o teu coração
não esteve um dia com o Senhor Jesus...não!
Ele é um pedacinho de Jesus!

Beijinhos!

joaquim disse...

Amigo anawîm o teu coração não está com Ele, está nEle.
Desde o momento em que Ele tocou o ventre de tua mãe e te deu a centelha de vida divina à Sua imagem e semelhança, que tu permaneces nEle e Ele em ti.
E porque lhe pertences no amor o teu coração sente por vezes a nostalgia do que está longe, estando perto.
Ah, também eu o sinto esse sentimento que nos mói por dentro, mas nos alegra no conhecimento.
Por isso Agostinho dizia:
«Senhor, tu nos fizeste para ti e nosso coração está inquieto até que descanse em ti.»
Abraço "reconfortante" em Cristo

Sei que existes disse...

Gostei de ler estas palavras!...
Beijos

andarilho disse...

"temo que as andorinhas voltarão a voar para longe…
poderão nunca mais voltar
por instantes de tempo preenchem, ousadas e atrevidas, os Teus Céus, Senhor
com danças a preto e branco
voam rente ao solo, sem medo de quase o tocar, a velocidades incríveis
e logo estão no ar, rodopiando.
Contaram-me os ventos, em segredos,
que elas anunciam muitas vezes a chegada da chuva como benção
em tempos improváveis de chuva

partirão um dia, sim, talvez a missão destas criaturas não seja mesmo
andar muito tempo à vista dos nossos olhares.
mas que importa? Outras virão, e preencherão os ares"


Outras e outros virão… e a vida e os murmúrios não pararão, só o Amor estremece por sentir novos rostos...Andorinhas do Pai...

elsa nyny disse...

Amigo!
O teu blog foi distinguido...
"BLOG MARAVILHA"!
Vai lá receber a nomeação!
Beijitos!

Ver para crer disse...

Obrigado por tão belo texto!
Estava mesmo a precisar de ler algo de parecido.