Pages

... para parar



Olhei-te e vi no teu olhar que me pedias para parar.
Não que o tempo, com todo o seu girar universal e cósmico se fosse deter comigo por um segundo sequer com este desejo que vi no teu olhar e que faço meu também.
Mas sei que me conheces.
Confio no que me diz o teu olhar.
Também eu te procuro nas palavras daqueles que te tocaram.
nos dias em que as melodias que ouço não me falam de ti,
e parecem calar-se porque já não falam a nossa linguagem… e cansam-me.

Olhei-te e vi no teu olhar que me pedias para parar.
Foi o que mais fizeste dentro de ti
Foi o que mais fizeste com os que se cruzavam no teu caminho
Foi o que mais ensinaste a quem convidaste a seguir-te
É o que mais fazes e mais ensinas agora

LIBERTAR!...

Antes de falares da presença de qualquer lógica diferente, desfazias entre os teus dedos as outras lógicas sem lógica que se esbarravam contigo e que eram falsas, egoístas, caducas… divisoras.
Não há obstáculo, empecilho, adversário maior no Reino do Amor já presente, do que a divisão.
Antes mesmo de anunciar que é possível sermos irmãos… todos… era preciso que não houvesse divisões dentro de cada um… por isso curavas.
Tocas, fazes levantar, ordenas a toda a divisão que saia, vá embora, que desapareça de uma vez.

Hoje quero chamar-te de Unificador porque me queres unir, dentro de mim.
E isto sabe-me a perdão, tolerância comigo própri@... equilibrado com uma adequada dose de exigência, essa de que sou capaz hoje e agora à qual posso ser fiel… e com um olhar convicto e cheio de esperança de que posso ser capaz de mais ainda, mas talvez não agora…
Sempre, sempre, sempre de olhos postos em ti, a formar-me, a unir-me por dentro… contigo… que és o Mestre, o Unificador, que me unificas por dentro.

Olhei-te e vi no teu olhar que me pedias para parar.
Tenho percebido que a maior verdade de mim a vejo no teu olhar.
Já me procurei em tantos “lugares”… só tu sabes… pronto, rendo-me!
A maior verdade de mim, nem sequer em Deus a encontro.
A maior verdade de mim,
do que sou e do que serei
a vejo em ti, inteiro, e no teu olhar.


Olhei-te e vi no teu olhar que me pedias para parar.
Queres curar-me.
Queres, comigo, unir-me por dentro,
con-centrar-me no que verdadeiramente importa.

Olho-te e vejo no teu olhar que me pedes para parar.
Aqui estou eu diante de ti.
Permito e quero muito que as tuas mãos entrem dentro do meu peito e arranquem de dentro de mim todas as divisões… ordena que vão embora…

Olho-te e vejo no teu olhar que me pedes para parar…
… para começarmos mais uma vez a caminhar,
de passo acertado um com o outro.

Jesus… meu Unificador…
Yeshuah…
Yeshuah…

1 comentário:

Mila disse...

Parar um pouco... reflectir... ajuda-nos a encontrar novos caminhos!

Obrigada Jesus, por me dares a capacidade do silêncio! só nele eu consigo escutar-TE...

Obrigada por me acordares o coração e me ensinares a ver o essêncial...

Obrigada por me mostrares do que sou capaz,e não desistes de me sussurrar de mimos, dizendo que ainda sou capaz de muito mais!


Obrigada Anawim por me dares neste momento a oportunidade de orar!
Estava a precisar...

Um graaaaaaande abraço!