Pages

O Deus Familiar

.
.
.



nessa altura o meu pai amassava o pão com as mãos
batia com fragor a massa contra as tábuas lisas
esticava-a
dividia-a
envolvia-lhe o corpo esquartejado num sudário onde havia de esperar
inchando pelo lado de dentro
o abraço do fogo

e só depois descansava
e só depois o mundo despertava no aroma doce do pão transfigurado

chegava a casa ao despontar do dia
mesmo a tempo de acender o sol que havia de amassar-lhe o sono
batê-lo contra a cama escassa
esquartejar-lhe o sonho
incendiar-lhe uma fogueira por dentro

hoje sei tudo o que se pode saber sobre o pão
e sobre os pais que o tempo levedou à porta da fornalha
e sobre a farinha branca que se impregna na pele e nas sobrancelhas
e o sal e o suor residuais
no cheiro intenso da crosta fumegante

o milagre da transubstanciação

nunca faltou o pão na minha casa graças a Deus
nela habitava o mago que operava prodígios em Seu Nome
como parti-lo em silêncio sobre a toalha branca
e reparti-lo
enquanto a minha pele se esticava atrás do crescimento
para envolver a compreensão do mundo

Carlos Nogueira Fino
.
.
.

6 comentários:

figlo disse...

Pão de cada dia...
Pão em cada mesa...
Pão, fruto do trabalho...
Pão partido e repartido...
Sinal do Reino e do Banquete...
Do acolhimento e da fartura...
Sinal da fraternidade e da Paz...
Pão que alimenta e fortalece...
Mas não a todos...
Pão que alguns querem só para si...
Pão que falta na mesa de muitos...
Pão! SÓ o de "cada dia"...
Mãos abertas à confiança...
Porque assim somos mais nós...
Porque assim somos mais irmãos...
Porque assim acontecem Milagres...

Que lindo este poema de Carlos Fino!
Este fim-de-semana vai acontecer milage em muitas mesas, onde o pão, mesmo às vezes sendo pouco, é partido com alegria e repartido por quem tem menos ainda. É dia de BANCO ALIMENTAR! Não te esqueças!
Abraço Anawîm!

figlo disse...

Bom dia Anawîm! Desculpa voltar aqui, mas os tempos fazem-me ...não sei bem...!?
Nestes dias que correm vamos percebendo cada vez melhor que o Homem "não cabe" no pão que come. Precisa de MUITO MAIS para se sentir feliz e realizado.Habita nele uma ânsia incontrolável de Beleza, de Infinito, de Eternidade...Por esse lado é capaz da maior Liberdade que é dar-se mas, por outro lado, também é capaz de desvirtuar (tirar a força criadora) a Tudo que vê e mexe e de querer este Paraíso só para si. Vivemos uma sociedade cada vez mais cheia de anawîm mas, pelos que sabem a Esperança passa o Espítito da Ternura, Criador de projectos de felicidade para aqueles que a não sabem. Um abraço. Glória

alice disse...

O Pão feito pelo Amor ,
alimenta meu coração .
ÉS Grande , és !
shalom.

alice.

Uma Brasileira disse...

Anawîm...


Que lindo!
Me fez sentir saudades de meu pai.





Beijinhos de uma amiga do Brasil.
Franca/SP./Brasil.

Anónimo disse...

o essencial é invisível aos olhos mas o coração que Ama o busca ,eu creio.
Deus seja louvado ,bendito o que vem em seu nome.

Anawîm disse...

Glória... que sabor têm as tuas palavras...