Pages

eterno é o bailado da vida, que danças...




oh alma! eterno, eterno é o bailado da vida, que danças...
... como pode ser dolorosamente doce, em Deus, o teu dançar?!
porque teimas em teu passo gravar,
onde a chuva passa, letras de ser
e amar?
e tudo é como se nunca tivesse existido
como um sopro tudo é... o que nunca foi
do que foi... nada se vê
e no ar se perde
a teimosa folha de outono que a árvore cede

e o bailado leva os compassos
e só as estrelas ficam
ainda que não se vejam
nem dancem
nem gravem com letras de ser e existir

e querendo, de matéria de estrelas
de matéria de anjo, o coração, sorrir...
é sempre, e só, cheiro da terra...
quando a folha cai com a letra
na ternura doce e suave da chuva a cair



2 comentários:

malu disse...

A Sua Palavra não passa Anawim... E é nEla e para Ela que a alma quer dançar; uma forma de se entregar, de O abraçar eternamente...

Aqui reza-se, sabias? :)
Que bonita música, as imagens, a tua oração contínua.

Sei que existes disse...

Adorei!
Beijinhos