Pages

Login Perfeito!...




A essência de Deus, aquilo que Deus é mesmo, concretiza-se em três sujeitos distintos, e o que os faz assim, distintos, como Abba, Filho e Ruah, não é só aquilo que são por natureza, mas mais profundamente o que são por relação.
Deus não é só uma ideia pura, eterna e perfeita (LOGOS), Deus é a capacidade infinita de abertura e comunicação (DIA-LOGOS).
Deus é então e só realização máxima de Si mesmo quando Se dá.

Os três sujeitos poderiam ter tantos outros nomes… mas são estes, não por acaso. Até me atrevo a dizer que, no fundo, Ele não tem nomes ou nome, pois o Seu nome verdadeiro é Relação com o Outro que é parte de Si mesmo, Oferecido… Doado de Graça…
… mas intuímos estes três nomes por causa desta mesma doação mútua.
O Pai existe e dá-Se a partir do momento que tem um Filho; o Filho é Filho pela existência do Pai e da Sua doação a Ele; o Espírito que é o Amor, existe porque o Filho Se oferece ao Pai e o Pai Se oferece ao Filho.
É por isto que vemos a realização máxima da pessoa humana quando se dá.
Quando passa do “eu sou de mim” para “eu sou para ti”. Isto sem sombra de poder ou domínio sobre o outro, mas de entrega ao outro, e sem nunca perder a própria identidade.
Isto porque somos imagem daquele que nos criou!...

O outro próximo de mim é sempre outro em relação a mim, de tal modo que eu não me posso compreender sem esse outro próximo de mim.
É isto que acontece no pensamento israelita, Deus não é para o Ser Humano o totalmente Outro, mas um Outro tão próximo do Ser Humano ao ponto de ele não se poder compreender sem esta relação com este Tu, este Outro próximo de si que Deus é.

O “tu” não sou eu, mas também não é “outro”, o “tu” é sempre uma parte de mim na relação de comunhão do “nós”.

Eu não me afirmo negando o outro que amo ou que odeio, mas afirmo-me abraçando-o ou desprezando-o numa existência DIA-LOGADA, compartilhada.
Quase me apetece dizer agora, nestes meios da informática… eheh… que viver com verdade é fazer o LOGIN com quem nos encontramos… “ENTRAR” e estar “Logad@” nas relações.

Era por este pensamento que o povo bíblico se tinha tornado muito duro com os que chamavam de pagãos e os estrangeiros por sentirem que era impossível para estes compreenderem-se a si mesmos sem esta relação com o “Tu-Deus”…

Quando Deus contempla o Ser Humano está a ver-Se a Si próprio reflectido nele.
O Ser Humano… eu… tu… somos o espelho do próprio Deus, onde Ele mesmo vê a Sua imagem em formação… a tal ponto que, um dia, na nossa História Humana existiu um homem, Jesus de Nazaré, que foi a expressão máxima da formação desta imagem do próprio Deus, ao ponto de irradiar a Sua própria Garantia gratuita de que é possível ser Pessoa na mais pura verdade… e o ser em plenitude assim, é ser como Deus é.

Adão é o esboço, o traço tosco, aproximado da realidade do ser pessoa que haveria de surgir na nossa História, disse S.Paulo. (Rom 5,14)
Era então preciso um Adão verdadeiro, um “eu”, um “tu”, em quem se reflectisse a imagem de Deus com toda a autenticidade… essa pessoa é Jesus de Nazaré.
Uma imagem que não é cópia, mas uma reprodução que irradia esplendor, diante da qual ninguém poderá ficar indiferente… a glória, a garantia gratuita oferecida por Deus.

O Ser Humano… eu… tu… somos o Adam… somos esse esboço desenhado pela “mão” de Deus, com a liberdade e a capacidade potencial de se descobrir e formar como imagem de dEle mesmo.
Jesus nazareno deixou de ser esboço, é obra já terminada, acabada, é o “primeiro nascido de toda a Criação”, como dizia S.Paulo (Col 1,15.17.18)

O rumo a seguir de todo o Ser Humano, deste Adam que eu sou e que tu és é, juntamente com o nazareno ressuscitado na nossa História e na nossa vida, ser imagem não já de Deus, mas deste mesmo Jesus ressuscitado.
Seremos imagem de Deus plenamente, procurando ser imagem de Jesus nazareno ressuscitado que inaugurou esta nova Criação acabada, rematada… seremos finalmente o que já começámos a ser com Jesus ressuscitado… somos o sonho de Deus realizado.

Então, dizer Imagem de Deus e dizer Ser Humano à imagem de Jesus ressuscitado é dizer exactamente o mesmo!

Escuta agora com atenção o que te escrevo aqui.
Num mundo onde, em qualquer lugar e diante de tantas pessoas, somos sempre substituíveis, ou seja, podemos sempre ser trocados por alguém que exerça mais adequadamente a função que ocupamos… neste mundo assim, diante de Deus tu és unic@.
Olha para o mundo inteiro com todas as pessoas que existem nele… pois é… Deus olha para ti como pessoa única e infinitamente digna de ser olhada por Ele, digna de crédito, e não há ninguém que tenha mais fé em ti, que acredite completamente em ti, do que este Deus-Amor-Dado… olha-te assim com tanta predilecção porque és únic@ e insubstituível para Ele.
Ama-te até à loucura, prefere-te assim no teu jeito de ser único… ama-te, e em ti Ele vê um pouco de Si próprio.
Ama-te ao ponto de te ver tão digno de respeito que te dá espaço nas tuas decisões e te deixa crescer e formares-te nos sentidos que tu mesm@ optares.
E a única resposta a este Amor é a relação estabelecida com aqueles que comigo e contigo são imagem deste Deus.

1 comentário:

Mila disse...

E eu apetece-me gritar dizendo:
É neste Deus que eu acredito,porque realmente se tem revelado muito ,muito BOM!!!

Estou muito feliz!

Um grande abraço