Pages

Sou o Tempo que vivo



És o tempo que vives!...
É assunto sério este do Tempo.
Pensa como o vives e encaras?
Se não o preenches de ti própri@, com a tua presença lúcida e a tua maior verdade, corres sempre o risco de andar a SOBREviver e não a VIVER…

É que, às vezes, vivemos como que na “SALA DE ESPERA DO MUNDO”!...
Quem é que gosta de esperar? Esperar…? Esperar…? Esperar…?
… quando parece que o Tempo nunca mais passa até chegar aquela hora determinada ou indeterminada…
… e mal nos damos conta, lá está a ansiedade a montar uma tenda dentro de nós.

É que, às vezes, vivemos como que na “MONTANHA RUSSA DO MUNDO”!...
A que velocidade louca o mundo corre e evolui ou se degrada, e quanta luta se vê porque só vence o mais forte de uma força que é tão pobre de humanidade verdadeira.
E parece que o tempo nunca chega para terminar o que há a fazer, os minutos esgotam-se demasiado depressa diante daquele objectivo determinado ou indeterminado…
… e mal nos damos conta, lá está a ansiedade a montar uma tenda dentro de nós.

E podemos ser como que engolidos pelo Tempo.

Será tão inevitável viver assim?

Tempo é como que um espaço que podes preencher de ti.
Tempo é agora, é hoje o que foste e o que és e o que anseias ser.
Não és só o que foste… com o que possas ter vivido de melhor ou pior.
És hoje e agora o que foste com as circunstâncias que viveste e as opções que tomaste, e és sempre hoje e agora o início daquilo que serás, mediante as circunstâncias que viveres com as opções que tomares, hoje…

Preenche o tempo contigo, como se o tempo fosse uma tela e tu uma cor:
Desenha-te na tela da Vida!...

“Pega” no Tempo e vive-o de maneira criativa e construtiva, ainda que muitas vezes sob a pressão de tudo o que é exterior a nós e tantas vezes nos oprime.

“Pega” no Tempo e torna-te dono dele, pelo único motivo que é quereres ser tu a comandar a tua vida, e a criá-la e recriá-la sempre de novo, procurando encontrar sempre o sentido de tudo o que te ocupa o teu Tempo.
Encontrar as causas últimas daqueles tempos que somos como que forçados a preencher desta ou daquela maneira.

Encontrar o rumo de todo o nosso Tempo, em toda a nossa Vida, sempre de olhos postos no nazareno Jesus:
“Ninguém me tira a vida… sou eu que a dou.” Jo 10,18

2 comentários:

Mila disse...

Oh,Anawim...é tão real nas nossas vidas o que escreves-te...mas só assim com estes abanões,é que despertamos a nossa conciência.

Muito obrigada,obrigada mesmo!

Com respeito a ontem,foi muito giro!!!
Eheheheh,ri-me tanto...

Cátia disse...

Anawim, sabe-me tão bem passar por aqui... Cada vez que venho sinto-me como um copo a encher-se... de vida. Gostei da expressão "SALA DE ESPERA DO MUNDO", acho que condiz bem com o que tantas vezes fazemos (ou não fazemos).

Abraço terno