Pages

Pediste-me que dissesse o que é o sofrimento...


Sabes… pediste-me que dissesse o que é o sofrimento, mas a verdade é que eu não sei o que é… não sei porque existe… e se não existisse, não sei se seríamos mais felizes ou menos felizes por isso.

Às vezes penso que o sofrimento é esbarrar contra uma parede onde está escrito:
“PERDI…”
ou
“ESTOU A PERDER…”
ou
“VOU PERDER…”
Até tenho vontade de te convidar a completar esta frase, porque o que perdeste, ou estás a perder, ou vais perder é quase sempre causa de alguma dor ou angústia para ti, do mais profundo de ti.
Atreve-te a completar alguma destas frases dentro de ti. Partilha-a, se quiseres e do modo que entenderes, ou então guarda-a em ti pensando nela muito a sério. É importante colocar à luz o que levamos dentro de nós e que, às vezes, nem nos apercebemos que muitas vezes nos prendem os movimentos e impulsos para “caminhar” e viver serenos.

Falando assim friamente tenho mesmo vontade de dizer isto…
É preciso assumir, de uma vez por todas que:
NÃO É POSSÍVEL FAZER DESAPARECER O SOFRIMENTO DA FACE DA TERRA!
Sabemos que a dor nem sempre é gerada pela injustiça, fruto da crueldade ou indiferença de muitos que nos querem “dominar”.
A causa da dor existe também na Natureza, através das doenças ou catástrofes naturais ou as limitações do nosso corpo ou as limitações do nosso planeta.

Sofremos mais quando não encontramos sentido nem utilidade para a dor sem sentido, absurda e sempre injusta, parece que ela não cabe em lugar nenhum de nós… não fomos criados para sofrer!...

Como haveremos então de viver o que não é possível evitar?

Sem lhe fugir, o melhor modo de encarar o que nos dói, é “olhá-lo de frente”, sem medo, sem aumentar e também sem diminuir o verdadeiro tamanho da sua importância.
Pois… isto de medidas não é fácil… Mas porque ninguém vive e “cresce” sozinho, também não sabemos “olhar” bem sozinhos para dentro de nós… e tantas vezes é importante procurar alguém que nos ajude a “ver” melhor, ajudando a dar aos problemas e sofrimentos o verdadeiro tamanho que têm.

Sempre procurando dar sentido ao que está a acontecer dentro de nós, assumindo-o, e sobretudo superando-o, sem permitir que nos bloqueie…
… assumindo-o, e sobretudo superando-o com alguma “arte” e criatividade.

É por tudo isto que te peço… não te isoles e te feches na tua dor, não permitas que seja só tua!...
Como às vezes não vemos bem o tamanho desse “monstro” que nos dói… parece-nos que ele cresce muito quando vivemos no escuro do nosso isolamento.
Quem vê “do lado de fora” às vezes vê com mais clareza. E não existe fraqueza nenhuma em precisar de partilhar com alguém o que sofremos.

A dor partilhada é um peso que, repartido, se torna mais leve de viver.

Se te dói… chora, SIM… chora… refila… reage… tens direito a sofrer e até a revoltares-te… mas não te deixes ficar aí por muito tempo, porque isso rói-nos por dentro.
Olha como à tua volta o mundo gira, sempre cheio de cor e de vida. Não te deixes arrastar e afundar pelo que te faz sofrer, assim sozinh@!...
Experimenta partilhar, com alguém que sintas ser digno de escutar essa parte de ti.

E… escuta bem o que diz o nazareno Jesus… quando, no meio da tempestade, na barca que quase afundava, os discípulos e discípulas já não sabiam o que fazer, ou o que dizer, ou no que acreditar, ou o que temer… desesperados…
… ainda que nada entendas em alguns momentos: “NÃO TENHAS MEDO!”

Se ainda estiveres com coragem para me ler mais um pouco... deixa-me só rematar com o que escrevi há uns tempos AQUI

E deixo-te um abraço muito grande!...

5 comentários:

Anónimo disse...

"Perdi..."
Me achei.
Reencontrei, finalmente, anawîm.
Voltei.
Que bom. Voltei.


Uma amiga do Brasil.

For@-da-lei disse...

Existem muitos e variados tipos de sofrimentos.Uns que nos são impostos,outros que colocamos sobre os ombros dos outros.Ninguém está imune à dor.

O que me parece importante é que em qualquer dos casos nenhuma dor é em vão.Há sempre lições a tirar.
E, não é preciso ir muito longe,basta meditar Jesus no Getsemani quando pediu aos seus amados discípulos que O acompanhavam, que orassem e eles adormeceram...e assim nós continuamos adormecidos,perante a indiferença.
Mas felizmente que existe Um que nunca nunca abandona,mesmo tragando alguns cálices na agonia.
"Tudo posso n'Aquele que me fortalece".Tem sido este o meu lema e, que fosse o lema de todos,porque tudo o que é humano é efémero,tudo quanto é do Pai é eterno.
Santo Domingo :)

Mila disse...

Oh Anawim não imaginas como o teu post faz sentido para mim...
Eu era uma pessoa muito fechada em mim própria,nunca partilhava as minhas dores com ninguém,mas também sou-te sinsera.Ainda não tinha encontrado a pessoa ou as pessoas certas para o fazer,depois que encontrei,fi-lo e não me arrependo nada,porque tudo começou a girar à minha volta com outra clareza e assim tudo se torna mais fácil.

Tenho a certeza de que, o que dizes,vai certamente ajudar muitas pessoas.

Obrigada Anawim,é sempre uma delicia ler-te!

Rui Pedro disse...

Partilhou-me um companheiro meu, numa experiencia difícil que compreendo bem, que há experiencias reais e forte, que sentimos, ouvimos, pensamos, mas que são totalmente mentirosas; reais, mas mentirosas. Chamam-se tentações, e normalmente trata-se de dividir-nos (diabólicas) de nós próprios nos nossos projectos mais fundamentais de vida.
E sem dúvida, dar à luz estas experiencias de sofrimento, mentirosas, reais mas mentirosas, é o primeiro passo: falar, partilhar... Obrigado Anawim, pela tua partilha.

anawîm disse...

Cara amiga do Brasil,
sentiu-se por aqui a tua falta...!
Que bom que te "achaste" e reencontraste!... Que feliz estou por ti!!!...
Estou sempre aqui... sempre!
Um abraço muito forte e maior que o oceano que nos parece separar...

fora-da-lei,
sim... a tudo podemos dar um sentido para o viver bem!... agradeço muito muito a tua partilha!
O Pai é eterno, e nós vamos aprendendo a sê-lo também com Ele!
Um abraço grande para ti

mila,
Agradeço-te tanto estares "aqui"!!!
Também o que vais partilhando está a ajudar agora certamente a muitos, encorajando a ter esperança, a acreditar que é possível ser feliz!...
Encontraste quem fosse digno para te acolher...
Agora tornas-te tu... linda para acolher como também foste acolhida
um abraço muito grande para ti

rui pedro...
já senti na pele a verdade que dizes aqui... e de vez em quando é mesmo assim com todos nós...
Cada vez mais sinto a urgência que temos que ser mais... temos que ser mais a acolher...
eheh... meio "parteiros" destes momentos reais, incontornáveis de pessoas reais que estão disponíveis a aprender a "crescer" bem que têm ânsias de desfazer, "exorcizar" as divisões que nos pedem para nascer de novo...
Agradeço-te muito esta tua preciosa partilha!
Um abraço para ti!