Pages

3 - A vida começa aos quarenta


Porquê quarenta dias, e não um outro número qualquer de dias?
Até mesmo na nossa cultura ocidental dizemos que “A vida começa aos quarenta”, com aquela sensação que muitos sentem de se ter completado um ciclo de algum amadurecimento na vida… é um momento em que se pensa nos projectos de vida ainda não realizados e como que uma urgência para os concretizar.

Numa cultura, como é a judia, em que os símbolos têm grande importância porque ajudam a significar a própria vida, o número quarenta não é escolhido ao acaso.
Segundo alguns, para que a pessoa passe de uma etapa para uma outra de maior entendimento sobre a vida, tem de haver entre elas um espaço vazio, chamam-no mesmo de princípio de “o nada no meio”, dando espaço assim para que o Outro e os outros participem da sua própria vida. É quando o próprio ego não tenta preencher e controlar tudo à sua volta, mas deixa um espaço, um lugar, para o outro.
É bonito ver como o judeu intui Deus que, ao criar o mundo, não o realiza como uma expansão ou autodefinição de Si próprio mas ao contrário, como que uma contracção de Deus que, por assim dizer, retira a Sua Luz infinita e a Sua presença primeiro, para criar um “espaço vazio” para dar lugar a que outros seres possam existir, de modo muito especial o ser humano.

Na filosofia da mística judaica, tudo está dividido em quatro partes, como são quatro os “cantos” do mundo (norte, sul, este, oeste), como são quatro as estações do ano, como eram entendidos tradicionalmente os quatro elementos do mundo (terra, água, ar, fogo). No plano espiritual eram entendidos também muitos outros “quatro”, como quatro mundos espirituais mais elevados, na perfeição de cada um deles estão dez características ou atributos criativos de Deus que se reflectem em tudo.
Ou seja… quatro vezes dez são quarenta. Algo completo possui, então, quarenta aspectos, ou seja, representa a realização de um modo de ser completo, atingindo este quarenta imediatamente se passa a uma fase seguinte na vida, como se passasse a viver uma vida nova, num outro mundo.

É deste significado que fala o número quarenta em todos os livros do antigo testamento.
Vamos ver os maiores exemplos disso.

Génesis 8,6: “Decorridos quarenta dias, Noé abriu a janela que havia feito na arca e soltou um corvo, que saiu repetidas vezes, enquanto iam secando as águas sobre a terra. Depois soltou a pomba…”

Êxodo 16,35: “Os filhos de Israel comeram o maná durante quarenta anos, até chegarem à terra habitada.”

Êxodo 24,18: “Moisés entrou pelo meio da nuvem e subiu à montanha, e ali esteve durante quarenta dias e quarenta noites.”

Números 13, 17-25: “Moisés enviou-os a explorar a terra de Canaã (…) Ao fim de quarenta dias, regressaram de explorar a terra.”

1Reis 2,11: “A duração do reinado de David sobre Israel foi de quarenta anos.”

1Reis 11,42: “A duração do reinado de Salomão em Jerusalém sobre todo o Israel, foi de quarenta anos.”

1Reis 19,8: “Elias levantou-se, comeu e bebeu, reconfortado com aquela comida, andou quarenta dias e quarenta noites, até chegar ao Horeb, o monte de Deus.”

Jonas 3,4: “Jonas entrou na cidade e andou um dia inteiro a apregoar: «Dentro de quarenta dias Nínive será destruída.»”

2 comentários:

Mila disse...

Ao ler o titulo comecei-me logo a rir!Porque será?
:)

José A. Vaz disse...

pois se assim é, pouco falta para começar a minha nova vida. chiça, nem acredito que já estou quase nos quarenta. de qualquer forma vamos sempre aprendendo e eu até tenho aprendido alguma coisa passando por aqui... antes dos quarenta. shalom.