Pages

Parece que só se pode anunciar assim

.
.
.
.
.



O que era desde o princípio,
o que ouvimos,
o que vimos com os nossos olhos,
o que contemplámos e
o que as nossas mãos tocaram


            acerca da Palavra da Vida


é o nosso anúncio


1Jo1





Um "era" e um "princípio" de um Tempo que já chegou, que rompe qualquer tempo
Um "ouvimos" que tem a ver com a escuta da "brisa" que não se ouve
Um "vimos com os nossos olhos"... porque de facto viram
Um "contemplámos" que é muito mais do que "olhar para"
é ter experimentado,
ter presenciado,
ter convivido,
Um "tocar com as mãos" como "Tomés" que querem com as mãos fazer da sua fé carne e vida e toque

Um anúncio que é, afinal de contas, mais do que palavras
Parece que só se pode anunciar com mãos de Tomé, querendo tocar nas feridas de todos os "Cristos"
Parece que só se pode anunciar como quem experimenta, presencia, convive
Parece que só se pode anunciar com o imenso desejo de mais que tudo ver
Parece que só se pode anunciar escutando a brisa que não faz ruído
Parece que só se pode anunciar um Tempo tão diferente, que rompe os nossos pequenos tempos

Deus Bom,
Deus Verdade,
Deus de cada manhã que se ergue
Deus de cada entardecer que convida ao descanso
Deus a Quem chamamos Pai, Papá, porque a palavra Deus sempre foi tão ambígua
bendito sejas por permitires que sempre possamos
ser com,
ouvir,
ver,
contemplar,
experimentar,
presenciar,
conviver,
e tocar a imensa riqueza desconcertante que é o teu e nosso Yeshu

.
.
.
.
.

4 comentários:

Uma Brasileira disse...

Anawîm...


Linda mensagem .
Linda canção.


A todas as mães de Portugal... um dia muito feliz.
Acabei de ler no blog da Nyny que hoje em Portugal, é dia das mães.
No Brasil, é no segundo domingo de Maio.


Um beijo carinhoso a todas que se sentem mãe, mesmo sem filhos, como eu.

figlo disse...

Demorou, mas saíu obra prima! O testemunho é resposta a um Dom, que me apetece traduzir por uma escuta e por um pôr a caminho. Por esse Dom, obrigado, bom Deus, Deus de todos os anawin.
Carlos.

Inês Nabais disse...

Que bom foi ler-te porquê:
poque vi cada palavra como única, porque ouvi a melodia que estas tuas palavras formam,
porque contemplei a beleza do resultado deste poema, porque presencio a verdade que existe no que escreves, porque sou uma priviligiada no convivio de que aqui falas e porque também eu toco, ainda que ao de leve, nessa imensa riqueza desconcertante que é este nosso Yeshu...

Obrigada Anawim
Abraço forte

Anawîm disse...

Para o Brasil um abraço forte!...


Carlos...
ehehe... pobre de mim


Inês,
um abraço forte