Pages

... e a escada...?




… e a escada escavada na rocha em pó se desfez,
do que era, nada fica,
porque de asas se dotou o sonho de sempre,
e se uma réstia surda de um misto de cor e sombras
e de letras forem sopradas aos ventos,
em desejos jamais se deixem entrever,
como poemas escritos na superfície das águas de um sereno lago...
sim, só as cores importam,
nada mais importa...
nem o surdo eco dos vazios de ausência do Todo...
e ainda assim o espírito pobre se pergunta
como pode o ser, fora, o ser?
e o que dentro está, nunca o foi, nem jamais o será?

… e assim o seco sopro das alamedas é urgente calar para sempre,
embora as folhas continuem a cair em todos os Outonos,
mesmo sem escadas,
ou cores,
ou asas...
esperarei por Ti
nesse lugar que conheces tão bem melhor que eu...

e cada sopro inspirado de sófrego rarefeito ar,
é anseio calado de quimeras voadas em outras estações...
e todos os pássaros sobrevoam e em segundos desaparecem,
como pó atirado aos ventos, grãos de areia como estrelas…
é que nelas quereria quebrar todos os sopros,
para que só o Teu existisse
mas misteriosamente queres que o Teu, só exista no meu

“Até quando, Senhor? Até quando continuareis escondido?” Sl 89,46
“Que pedes então e buscas, alma minha?” s.j+

4 comentários:

Ni disse...

Às vezes, julgo que se esconde tão em nós que, ao procurá-Lo, esquecemo-nos de nos procurarmos...
E a escada? Talvez seja aquela que não sobe, mas que nos leva ao nosso coração. O que a Ele entregamos sem sabermos... e que assim nos deixa voar e chegar, com Ele, onde se esconde... onde nos encontra... onde permanece(mos).

Peregrino disse...

Calar para sempre as palavras que transbordam o espaço que precisa de se renovar… as aves migram em busca de tempos amenos, assim é a nossa alma no voo do silêncio, ..também migra nesses voos dos sonhos, em busca de ser acolhida pelos “Tempos Amenos”…. E os filhos não precisam de escadas, basta-lhes os braços do Pai para subir…

Fora-da-lei disse...

“Que pedes então e buscas, alma minha?”

Confiança e abandono, alma do Pai.
Vai perdoar-me ,mas não resisto a essa foto linda do lobo, se me permite vou "gamá-la"...rsr,sou apaixonada por lobos.
Faço penitência por uns dias...:)

MiguelGomes disse...

Nao seremos nos, com o medo, que nos escondemos do que sabemos e nao enfrentamos?

Fica bem,
Miguel