Pages

Disseste-nos como se entra no Reino de Deus, MAS...


Yeshuah…
Transformaste a doença da tristeza e do desespero
na vitalidade da esperança e da alegria.
Tocaste, aproximaste-te, dos “sujos” e dos “pequenos”, sem nunca os rejeitares
e, em vez de ficares, tu, “sujo” com eles,
ficaram eles “limpos”, contagiados com a tua alegria…
… MAS, às vezes, falam-nos de ti como o curandeiro lá do sítio,
e isso é bom para os “grandes”,
porque não compromete a vida,
tu lá eras curandeiro e poderoso com quem querias naquele tempo…
como é possível acreditar nisto?

Foste e tornaste-te o que és mais do que nunca:
Um Homem!...
Na maior plenitude possível disto de ser gente inteiramente gente,
totalmente aquilo que somos chamados a ser.
… MAS, às vezes, falam-nos de ti dizendo-nos que és assim meio-deus, meio-homem, ou melhor, todo-deus e todo-homem, que vai dar ao mesmo,
e admito que não tenho que perceber todos os teus mistérios e os do Reino de Deus,
mas recuso-me a acreditar que sejas “bocados” ou a totalidade disto ou daquilo….
… até me pareceria que, enquanto viveste aqui no tempo, andaste a fazer de conta que eras Homem, porque afinal eras Deus,
ou andaste a fazer de conta que eras Deus, porque afinal eras Homem.
Seria tão pouco digno acreditar em ti, assim!...

Eras um Homem!
E hoje és um Homem em plenitude, cuja vida o Abba abraçou e elevou para Ele.
Acredito que, de alguma maneira é assim que estás no Abba, e Ele em ti.
És o Primeiro da Humanidade que eu também sou,
sou contigo esta Humanidade a nascer de novo para o colo do Abba.

Envias os teus discípulos e discípulas para irem até à “Galileia”
e aí te conhecerem, encontrando-se verdadeiramente contigo,
… MAS, ainda teimamos tantas vezes em matar a voz desses que para lá caminham,
desses que são os novos profetas que buscam com todo o Coração a Verdade que és.

Em alguns momentos terás talvez andado descalço,
e custa-me a crer que não tivesses amigos que não te oferecessem um par de sandálias,
mas tê-las-ás tirado dos pés muitas vezes, para calçar os pés feridos de muitos caminhantes,
… MAS nós até gostamos de sapatos vermelhos e tudo o que eles representam

Tu não tinhas uma casa tua,
tantas vezes dormiste ao relento.
Eu não esperaria que hoje, os que se dizem teus discípulos fizessem o mesmo,
… MAS, alguns de nós, teimamos em viver em gigantescos palácios, e dizer umas coisas lá de dentro de basílicas gigantescas, onde ninguém conhece a pessoa ao lado da qual se senta… e tantos vivem vidas inteiras em casotas de lata, sem o mínimo de dignidade…
… se ao menos nós, tivéssemos mais vergonha, e não ostentássemos tanta opulência que é absolutamente desnecessária…!

Sim, porquê ostentar tanta riqueza nos jeitos de vestir e quando se faz a memória da tua festa, com tantas vestes diferentes das dos pobres, com tanto anel, tanto báculo, tanta mitra, para que serve tudo isso senão para mostrar luxo e a riqueza que se tem ou não se tem,
se tu, nazareno, não viveste nada disto e sempre denunciaste esse jeito de ser que fomenta abismos de separação e distância entre os que têm tudo e tudo podem, e os que nada têm ou nada podem, separação entre “sujos” e “limpos”…?
Ainda criamos tanta “lepra” tão falsa!
É que esses “ares”, esses sim, são causa de escândalo e pedra de tropeço para mim, muito mais que aqueles que são encurralados pela vida e se deixam enredar em tramas onde perdem a sua dignidade para colocarem pão na mesa para os filhos…
e nós, da janela dos nossos palácios gastamos tanto tempo a ditar-lhes ordens, de cima, como se todos os comportamentos se pudessem generalizar e colocar em listas de pecados e virtudes.

Tu escolheste 12 homens, porque as mentes e os Corações eram duros demais, no teu povo, para que colocasses mulheres a representar alguma das 12 tribos do novo Israel,
… MAS hoje, que nos dizemos mais civilizados, continuamos a afirmar que se escolheste 12 homens é porque as mulheres não te podem representar, quando tu mesmo, apesar do escândalo que causavas, tiveste tantas discípulas,
e afirmamos que os teus supostos poderes mágicos só actuam através de mãos masculinas.
Uma mulher não te pode representar… parece que as mãos dos homens e das mulheres são diferentes não sei em quê nisto de ser gente e de anunciar o Reino de Deus.

Muitos de nós ainda afirmamos que fazes uma espécie de magias,
e acreditar nisso faz pensar em ti como em alguém tão especial e longínquo, tão impossível de imitar…
… é que eu não consigo multiplicar pães como tantos me dizem que tu fizeste.
É que o que fizeste foi gerar o milagre da transformação do nosso Coração ao ponto de desejar partilhar o que somos e temos… e quando isso acontece sempre existe abundância… ninguém fica com fome, nu, ou sem tecto… e isto sim, é o Reino de Deus, o Reino do Amor… e não um reino cheio de superstições e crendices que nunca saciaram a fome e as sedes de ninguém.

Os teus profetas estão aí à procura da Verdade que és tu,
e nós sabemos quem são porque são acusados, por muitos de nós, de ensinar “doutrinas perigosas”
seguem as pisadas do Mestre que és tu
afinal de contas, foi essa a tua sentença de morte
“doutrinas perigosas”, sim, mas somente para quem tem ou apenas acha que tem algum poder sobre alguém,
“perigosas” para os poderosos e grandes, mas fontes de libertação e alegria para o pobre e o oprimido, para os anawîm... esses "encurvados" de todos os tempos.

Até quando, Yeshuah… até quando…?
Se o Abba não te tivesse dado a vida plena com Ele, continuariam a crucificar-te, através dos profetas do teu Reino…

.

.
.
.
.

3 comentários:

Mila disse...

Obrigada Anawim,por me fazeres mais uma vez parar e reflectir um pouco mais!...

Rui Pedro disse...

Até quando, Mestre?...
Até quando?...

Um grande abraço!

elsa nyny disse...

Mano, Mano, Manoooooooo!!

QQue saudades de tiiiiiiiiiiiii!
É sempre bom ler-te e deixar o tilintar das palavras dentro de mim!!!

Bjtsssssss