Pages

palavras para quê?...



Tenho muita vontade de escrever aqui muita coisa... mas nada que eu escrevesse descreveria com a devida gravidade o que sinto neste momento...
Sinceramente, sinto alguma indecisão neste momento... não sei se hei-de rir ou chorar, mas reagir com neutralidade não consigo...


Aqui vai uma notícia que não sei se é deste tempo ou da Idade Média
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

13 comentários:

Sol da manhã disse...

Olá Anawîm,

...
não vou escrever por aqui, a frase que me veio à cabeça quando acabei de ler o artigo...

A notícia é, infelizmente, deste tempo... os motivos pelas quais foi publicada são de facto, da Idade Média...do tempo dos senhores feudais...

Não me identifico nada com cenas destas... Adão e Eva, sinceramente!!!... É tão infantil... Deus criou o sr. Adão e a sra Eva. O sr Adão e sra Eva tiveram dois meninos: o Caim e o Abel. O Caim matou o Abel. O Caim ficou sozinho e depois teve filhos de quem? Da mãe, não podia ser... e não havia mais nenhuma menina! enfim... Se o Caim fosse uma mulher, ainda havia a probabilidade ínfima da existência de um fenómeno biológico (ainda que raríssimo) de conceber, apenas, uma menina... E mesmo assim não resolvia o problema da sucessão... Nem quando era miúda me conseguiam convencer da existência um sr adão e da sra eva!


Sabes, acho que no fundo, no fundo, coisas como esta não passam do estrebuchar do moribundo... de passarões que querem dominar a todo o custo os pardalitos... E este devia estar a ser incómodo de alguma forma a algum passarão...

Um abraço grande.

Rui Pedro disse...

Olha, Anawîm, partilho contigo o que penso de todas estas situações.
Um teólogo pode escrever e pensar o que quiser, com as quais posso concordar ou não (tipo um grande teólogo e sobretudo missionário como Leonardo Boff, que escreveu que Maria é "encarnação" do Espírito Santo e José de Deus-Pai). Ninguém, segundo os Direitos Humanos, pode ser julgado pelo que pensa e afirma - não pode ser silenciado, só podemos escutar e concordar ou não.
Uma pessoa pode sofrer uma sanção pela sociedade se faz alguma coisa que prejudique a sociedade - podemos julgar e limitar as acções, não as opiniões. Com os teólogos é o mesmo - julguemos as suas acções, julguemos o contributo pastoral que trazem, julguemos se ajudam as pessoas a encontrar o Rosto de Deus ou não! Mas é contra os Direitos Humanos retirar a um teólogo o direito de ser teólogo, ou seja, de ensinar e publicar, como acontece neste e em tantos casos!
Julguemos então as acções deste teólogo, no caso Ariel Valdés: os seus alunos gostavam dele, porque os obrigava a pensar, sem os obrigar a "comer" o que ele ensinava. Uma Universidade, por natureza, seja a faculdade de teologia ou outra qualquer, é autónoma no ensino - podem aceitar o Valdés como professor ou não, e se o aceitavam é porque é cientificamente válido, independentemente do que ensina!
E isto com tantos teólogos, entre os quais latino-americanos (o caso de Boff, por exemplo): independentemente do que pensam e ensinam, é inegável o bem que traziam ao cristianismo latino-americano, sendo hoje a região do mundo mais "viva" na fé cristã. E são condenados, proíbidos de serem teólogos!
A teologia está ao serviço do aprofundamento e explicitação da fé, e mesmo no questioná-la. A teologia não serve para repetir os pronunciamentos da hierarquia. Mais que à teologia da libertação, eu defendo a libertação da teologia! E se a teologia deixa de ser "teologia" - a lógica de Deus - compete às pessoas e às comunidades julgá-la e acolhê-la ou não!
Impedir um teólogo de ser teólogo é ir contra os direitos humanos, já para não falar em relação ao Evangelho.
Um abraço!

Mila disse...

Sim Anawim, palavras para quê?...

Olha, eu nem digo o que me apetecia dizer senão...

Um grande abraço.

joaquim disse...

Meu amigo Anawîm

Estas tomadas de posição da Igreja sempre me causaram mal estar e muitas vezes não as entendo.
Claro que não me parece, como diz a noticia, que seja por causa do Padre Ariés Valdez, não “acreditar” em Adão e Eva.
Ele próprio diz noutros lados que há pelo menos 13 anos o Vaticano lhe vem chamando a atenção para certas afirmações que ele vem fazendo.
Confesso que de vez em quando leio alguns artigos dele na Bíblica e de um modo geral me agradam, embora alguns me pareçam, e se calhar porque não sou teólogo, algo “exagerados” levando tudo para o lado do simbolismo.
Claro que esta é uma apreciação muito simples de quem leu muito pouco dele e que para além do mais não tem conhecimentos para fazer uma tal critica.
Parece-me ainda que alguém que ensina numa Universidade Católica deve respeitar no mínimo a orientação da Igreja e como digo acima, (embora para mim não seja solução proibir), não me parece que seja apenas por causa de Adão e Eva que tal aconteceu.
O meu filho mais velho estudou na Universidade Católica Portuguesa e havia coisas que certos professores ensinavam que bradavam aos céus.
Admito que alguns homens da Igreja estejam errados nesta tomada de posição, mas a Igreja continua a ser para mim a Casa onde quero viver, crescer e comungar, apesar de todos os defeitos de alguns daqueles que a constituem, como eu.
Quando eu erro, a Igreja acolhe-me e como Cristo ama-me ainda mais.
Também eu quero amar cada vez mais a minha Igreja, mesmo quando alguns dos seus membros possam errar.
Compreendo a tua indignação e como digo acima estas tomadas de posição de membros da Igreja incomodam-me, até porque nunca consigo chegar ao âmago da questão, por falta de informação e muitas vezes também por manipulação da informação.
Rezo pela Igreja, pelos seus membros e pelo Padre Ariés Valdez que obedientemente decidiu acatar aquilo que lhe foi exigido.
Deus sabe muito mais do que nós e como diz Gamaliel Act 5, 38-39:
«E, agora, digo-vos: não vos metais com esses homens, deixai-os. Se o seu empreendimento é dos homens, esta obra acabará por si própria; mas, se vem de Deus, não conseguireis destruí-los, sem correrdes o risco de entrardes em guerra contra Deus.»
Concordaram, então, com as suas palavras.»

Perdoa meu amigo Anawîm a extensão do meu comentário e recebe um abraço forte e amigo em Cristo nossa esperança e liberdade.

anawîm disse...

Sol da manhã,
a questão de fundo parece ser ainda mais grave...!
um abraço para ti

Rui Pedro
Agradeço o teu comentário.
Estou muito de acordo contigo.
Teimam em infantilizar-nos, como se não tivessemos sentido crítico e de avaliação do que será certo ou errado. Do que nos liberta, nos faz mais pessoas, e mais felizes... e sobretudo daquilo que nos aproxima e nos faz viver o Reino de Deus aqui.

É grave impedir de falar a alguém que dedicou uma vida inteira a ajudar a aproximar do mistério do Reino... ainda que seja com interpretações certas ou erradas, são sempre propostas, sim...
Absolutamente ninguém é infalível na busca da verdade... eheh...
É sempre um erro grave alguém achar-se dono da verdade... ou dono da VERDADE que é o nazareno Jesus ressuscitado, parece que nunca mais acabamos de descobrir e aprender a conhecer este Homem...

Gostei imenso da tua expressão... é preciso "libertar a teologia"...
e fico feliz ao pensar que aos profetas de todos os tempos, ainda que os calem ou os matem, ninguém lhes prende o que o Coração grita o que anunciam. É que isto provoca uma publicidade do caneco aos escritos e estudos do Ariel Valdés... ahahah...

Agradeço imenso a tua intervenção aqui.
Um abraço grande

Mila,
ó Mila... pois é...
um abraço muito grande para ti

Joaquim,
Amigo Joaquim... se calhar, levar tudo um bocado para o lado do simbolismo é que será a tendência mais correcta, afinal é a característica do povo que escreveu toda a Bíblia...
Concordo contigo quando dizes que este professor deve respeitar a orientação da Igreja, estando a ensinar numa faculdade de Teologia... mas não será possível e mais humano, (para não dizer mais cristão), um respeito recíproco?...

Já por uma vez, que eu tenha conhecimento, este professor retractou um dos pensamentos que divulgava, porque não existe cedência e diálogo de parte a parte? Ou será que hoje temos a verdade toda nas mãos, e o evangelho com toda a história já não trás novidade e já deixou de ser notícia? Estas "doutrinas perigosas", no fundo... no fundo, prejudicam ou abalam a fé de quem acredita em quê?

Agradeço à Igreja da qual faço parte, de me ter anunciado, bem ou mal não importa, o nazareno Jesus ressuscitado... mas não nos resignemos diante dos que julgam ter algum poder ou sabedoria supremos nas mãos.

É bem verdade o que disse o sábio Gamaliel... e já está a acontecer aqui. Como já disse acima ao Rui Pedro, esta história toda provoca uma grande publicidade dos escritos do prof.Valdes... toda a gente vai andar à procura do que é que tanto perturba o Vaticano e, concordando ou não irão ler o seu pensamento.

Amigo Joaquim, agradeço profundamente o teu comentário e o teu testemunho de fidelidade a esta Igreja que, inteira, bem ou mal anda à procura de saber viver bem o Reino de Deus.
Um grande abraço para ti.

Inês Monteiro disse...

Obrigada anawim, porque neste teu pequeno post e nos respectivos comentários estamos a saber ler os "sinias dos tempos".

desculpa mas tenho de fazer este comentário: é com cada tiro nos pés que este Vaticano anda a dar... eh! eh! eh!

Um abraço grande!

Vida Teologal disse...

também como aluno de um curso de teologia, sinto-me compelido a comentar:

Há afirmações que ultrapassam a mera opinião. Elas tocam o cerne da verdade da Fé e também da verdade histórica. Portanto levanta-se aqui uma questão de VERDADE!

QUALQUER estudante de teologia que tenha frequentado as disciplinas de introdução à Bíblia tem a obrigação de saber que Adão e Eva não foram personagens históricas. QUALQUER Faculdade de Teologia que se preze, QUALQUER teólogo, sabem - ou pelo menos têm o dever de saberem e transmitirem - que a teologia tem um carácter interdisciplinar com as outras ciências históricas e humanas, e por isso obedece a um método interpretativo dos textos que deve ter em conta uma leitura histórico-crítica. ISSO é um FACTO incontornável, patente até nos documentos conciliares do Vaticano II.

Por isso, além desta atitude da Congregação para Doutrina da Fé revelar-se sobretudo como desumana, é também totalmente infundada do ponto de vista teológico e científico, vai claramente contra o espírito do Vaticano II, e contra a verdade. Mas pelos vistos não seria de esperar outra coisa de uma instituição romana que nasceu na Idade Média sob o nome de Sacra Congregação da Inquisição Universal, ou também mais conhecida como "TRIBUNAL DA INQUISIÇÃO"!!!

Estas e outras atitudes da Cúria "pela defesa da fé" só demonstram que não lhes interessa anunciar a Verdade, mas manter vivas as superstições e o pietismo religioso que justificam a sua posição de poder, e instigaram o fundamentalismo que tantas vítimas provocou ao longo da história.

Gustavo

anawîm disse...

inês...
eheh... pois é!...
eles devem viver tão "tapados" dentro daquele "palácio" que ainda não perceberam que o "povo" não é tão ignorante como eles dão a entender...
Um abraço muito especial para ti e para a marianinha...

Gustavo...
Olá!...
Sê bemvindo a este espaço.
Agradeço muito a tua partilha do que sentes sobre isto.
Justificar e manter o status do suposto poder e influência, que já nem é tão real quanto parece, ao menos a nível do pensamento (que a nível económico nem me atrevo a comentar, porque já envolve instituições ou vias muito santamente católicas de "extrema direita")

Olha Gustavo, só para eu não ter a tentação de colocar mais um post sobre isto vou colocar por aqui mais dois links, só pra vermos a que ponto chega este teatro todo.

Para já, segundo dizem os boatos ou não, o Vaticano não assume a proibição aplicada ao prof.Ariel Vadés... o que é certo é que ela foi feita formalmente pelo seu bispo, argentino...
Afinal de contas, querem enganar a quem?... É evidente que o infeliz do bispo para agora as favas todas, mas este género de ordens tão graves só poderão vir mesmo do Vaticano.

Outro ponto é... parece que tentaram agora tirar desta cena teatral a historicidade do Adão e Eva, e põem, isso sim, em causa, as ideias que o prof tem sobre o pecado original...
Pois, claro está... é que essa questão abala uma boa parte da teologia em que se baseiam os sacramentos... pois é...!

As outras duas questões parece que se mantêem... afinal temos mesmo que continuar a acreditar que um anjo teve uma conversa muito séria com Maria...
e, além disso, (perdoem-me se escandalizar alguém)... é preciso acreditar que ela ainda anda, incansável, por aí a pregar o arrependimento dos pecados, das mortficações e a repetição ininterrupta de palavras, e que até goste de nos ver a arrastarmo-nos de joelhos à volta de capelas, coisa que o filho Jesus nunca quis, e jamais quereria que o fizessem em seu nome, e, convenhamos, nem a sua mãe!...
Bom...
cá vai um link para quem quiser rir-se um bocadito:
http://www.zenit.org/article-18862?l=portuguese
para vermos em que é que se ocupa realmente o dito sucessor de Pedro. Porque nisto de ser papa há que haver algum cuidado e extrema atenção ao guarda-roupa... tudo para glória de Deus, pois claro!... acho que nem Deus é tão divino como estes habitantes daquele palácio...
e agora outro link, que já não dá pra rir tanto:
http://www.zenit.org/rssportuguese-19268
Pois é... este nosso amigo, além de preocupado com os seus desfiles de moda papal cujo tema é o linho mais fino, o ouro, e as grandes cruzes vermelhas a condizer com o sapato e o chapéu, como uma autêntica miss vaticano andou hoje a apregoar a generosidade na argentina em favor dos pobrezinhos (sim,sim... é o mesmo país do prof.ariel valdés)... e, qual não é o meu espanto, também a promoção dos Direitos Humanos, que segundo ele mesmo diz, é assim como uma "exigência e testemunho dos valores evangélicos"
É sempre bom lembrar que o Vaticano é o único Estado no mundo que não assina a Declaração Universal dos Direitos Humanos, na qual podemos encontrar, entre outros, a liberdade de expressão, como tão bem falou o Rui Pedro acima, e também a igualdade de direitos entre homens e mulheres...

Um abraço para ti, Gustavo...
mais uma vez te agradeço e...
volta sempre!...

anawîm disse...

afirmei há pouco que o Estado do Vaticano era o único a não assinar a Declaração dos Direitos Humanos... mas infelizmente não é mesmo o único.
Mas é sempre de lamentar que de onde se espere um exemplo de justiça mais humano e fraterno... se recuse a declará-lo e a praticá-lo verdadeiramente.

um abraço a todos os que por aqui passam... e desculpem esta reacção minha mais acesa...
é difícil conter-me diante do que está à vista

José A. Vaz disse...

só pode ser um equívoco... a ser verdade então também terei de deixar de dar aulas de EMRC.
Um abraço.

Ni disse...

Anawîm... talvez então eu não devesse estar aqui... Mas sinto-me bem aqui, onde me acolhes com este simples acreditar que Ele é maior.

Obrigada!

Anónimo disse...

Querido anawîm, encontrei mais uma voz discordante relativamente à proibição aplicada pelo Vaticano ao teólogo Ariel Valdés. É só ler o artigo de opinião - PONTO DE VISTA -,de Pacheco de Andrade, intitulado "O orgulho do poder ", contido no semanário diocesano VOZ PORTUCALENSE, de 3 de Setembro corrente.O desacordo é tal que a Sagrada Congregação para a Doutina da Fé é apelidada de "apêndice sucedâneo da velhaInquisição "!...é duro mas manifesta a revolta.
Sou a favor do não adormecimento das consciências e de um crescimento na Fé ao longo da vida.
Fernanda

anawîm disse...

Olá, Fernanda...
Pois é... Agradeço este contributo teu e a manifestação da tua opinião aqui.

O "apêndice sucedâneo da velha Inquisição" teria muito trabalho para fazer se resolvesse calar todos os biblistas que anunciam a verdade que buscam... muito trabalho mesmo... porque são mesmo muitos...

Um abraço grande para ti... sê bemvinda!