Pages

4 - Novamente... "Levanta-te, vai..."



“Levanta-te, vai…”
O Deus da Compaixão,
da Paz,
o Deus Apaixonado pela Humanidade,
o Deus que não desiste
envia, de novo, o seu mensageiro em missão.

Nínive poderia não ser muito grande geograficamente… mas era muito importante, era enorme aos olhos do Deus Bom. Tão grande e tão digna de atenção como se fosse preciso três dias para a percorrer toda.

Jonas foi… mas a importância e a atenção que ele deu aos habitantes desta cidade não tem comparação com aquela que Deus lhe dá.
Jonas percorre toda a cidade num dia só… mais parece ter sido uma corrida para despachar a notícia de Deus…
Bem…
Se virmos bem, aquilo que Jonas anunciou não foi exactamente a mensagem que Deus lhe havia pedido para apregoar.

Num primeiro momento vemos Deus pedir-lhe:
“… anuncia-lhe que a sua maldade subiu até à Minha presença.”
Num segundo momento é o capitão marinheiro que lhe faz um pedido (é que Deus também Se revela pelas pessoas e acontecimentos):
“… invoca o teu Deus, a ver se porventura se lembra de nós e nos livra da morte”
Num terceiro momento novamente Deus lhe pede:
“… apregoa nela o que Eu te ordenar.”

Parece que não havia dúvidas.
Jonas sabia bem o que havia de anunciar… parece que estava já tudo dito.
Surpreendentemente, a sua notícia torna-se um pouco diferente de tudo isto:
“Dentro de quarenta dias Nínive será destruída”

Todos os habitantes, desde o rei e príncipes até ao mais pequeno dos servos se convertem da maldade que praticavam.
E até toda a natureza, antes pelo mar e tempestade revoltada, agora pelos animais serenos do campo, se converte diante o anúncio dado pelo mensageiro de Deus.

É grave… é séria a missão daquele que fala de Deus… é ele que mostra aos outros o rosto do que Deus é.
Mas Deus é maior do que nós… e revela-Se muito mais além da notícia dada sobre o Seu Amor, dada à Humanidade pelo Seu mensageiro. E vemos Deus arrepender-Se, e a ficar feliz com a transformação que se deu no Coração dos ninivitas.

Mas… “Jonas ficou profundamente aborrecido com isto”… ficou irritado até. Como que repreende o seu próprio Deus:
“Eu já sabia que és um Deus de Coração mole… por isso é que eu queria fugir”

Jonas sempre desconfiou qual seria o resultado desta história e, ainda assim, não queria fazer parte dessa mesma história.
Parece que não queria “pactuar” com um Deus que se enche de misericórdia pelos Seus filhos, os Seus filhos que são a Humanidade inteira… INTEIRA…

Ó Israel!... ou qualquer que seja o teu nome hoje, nos meus dias…
Ó Israel!... és eleita, mas não a única, a exclusiva, com quem Deus estabelece Aliança de Amor,
Não és a única com quem Deus “Se casa”
com quem Deus Se compromete
com quem Deus arrisca tudo.
Ó Israel!... ou qualquer que seja o teu nome hoje, nos meus dias…
és eleita, não como Esposa, mas como Anunciadora da Notícia Boa do Deus que Se compromete e faz Aliança com a Humanidade Inteira de Toda a História, da qual fazes parte tão importante.




2 comentários:

figlo disse...

O meu coração se encanta com este Deus que não desiste de nos chamar...que insiste em nos dar um "papel"...insiste em precisar de nós para que a "mudança de mentalidades" aconteça...chama-nos de muitas maneiras...faz-se desentendido às nossas lamúrias...surdo aos nossos gritos de incapacidade...
Põe a mão na nossa cabeça...e as Suas palavras na nossa boca,e...FAZ! tão silenciosamente faz o que é preciso ser feito que, muitas vezes somos levados a pensar que fomos mesmo nós que fizemos...e damo-nos ares...e tentamos agarrar nas nossas mãos aquilo que não é senão obra do Espírito...
Levaste-me a ler pela primeira vez "o livro de Jonas". Obrigada Anawin!Um abraço Glória

Anawîm disse...

Glória...
que bom que o "leste"!
Espero que tenhas gostado...
É tão bela a intuição que alguns Corações foram adivinhando, ao longo dos tempos, acerca do Rosto de Deus... tão bela...

Um abraço grande para ti. É sempre bom constatar que há alguém aí desse lado a ler o que vou partilhando... eheheh